segunda-feira, junho 12


Desempregados vão ter que limpar matas

O Governo decidiu obrigar 2500 desempregados inscritos nos centros de Emprego e Formação Profissional, e que se beneficiam do Rendimento Social de Inserção (RSI), a trabalhar na limpeza de matas e manutenção de infra-estruturas, no âmbito do combate aos fogos florestais.
De acordo com informações do Correio da Manhã, as pessoas que se recusarem a aceitar a referida proposta de trabalho, vão perder o direito de receber a prestação de desemprego.Os desempregados seleccionados terão direito a receber do Instituto de Emprego um subsídio complementar ao subsídio desemprego e aqueles que se beneficiam do RSI vão receber um subsídio ocupacional.


G. Hopffer/PlanetaRH
Publicado em 2006/06/09

9 comentários:

Rui Martins disse...

e muito bem. nada me choca nesta medida, só lamentando que seja tomada só agora que já é começada a época de fogos... E espero que a compensação seja mínima, e que providenciem o transporte (conhecendo este País...)

Mestre de Aviz disse...

A medida é bastante adequada. Concordo com o sr. Rui Martins, que lamenta ter sido tomada tao tardiamente.

Cumprimentos

Santos R. Queiroz disse...

Medida acertada. Também irá clarificar aquelas situações dos "falsos desempregos", que são tão custosos ao Estado.

besta mecanica disse...

Apesar de concordar parcialmente com a medida, choca-me esta afirmação: "Os desempregados seleccionados terão direito a receber do Instituto de Emprego um subsídio complementar ao subsídio desemprego " Porque é q vao receber um subsidio complementar? Nao estao a trabalhar? Fdx, nao me lixem. NAO HA PIOR VICIO QUE O OCIO

Mestre de Aviz disse...

É verdade

ganglio disse...

é o limpas...vamos vê-lo a fazer greves e o crl, não acredito em nd destas medidas. So o facto de irem receber um subsidio complementar ve se lg a merda de medida que é...Por isso e q ng trabalha. É sempre td berços d ouro, contratos maravilha, as pessoas ficam esquisitas e dps nao fazem qq coisa.

anti-reds disse...

Talvez se acabassem com subsídios a quem tem bom corpo para trabalhar e os guardassem para aqueles que realmente deles necessitam (doentes crónicos, mutilados, ...)e empregassem esses recursos numa politica de educação eficaz, em boas instituições publicas de saúde, talvez este país se endireitasse

Mestre de Aviz disse...

ora nem mais

Pepa disse...

Tenho ideia que não vão ser os desempregados, mas sim, os reclusos!