terça-feira, julho 25


"Quem tem colónias é como quem tem filhos"

"Primeiro vem a sustentação, depois a educação, mais tarde a emancipação.
Não se pode é correr com as crias antes de lhes dar asas para voar.
Foi o que nós fizemos!
À conta dessa traição morreram vários milhões de inocentes (bastantes mais do que morreram em 13 anos de guerra, e muitíssimos mais do que morreram em acidentes de viação na metrópole na década de 60 e 70).
Como resutado dessa traição, Moçambique é hoje um dos países mais pobres do mundo, e Angola com um subsolo riquíssimo tem 80% da população a viver na capital, esgravatando diariamente no Roque Santeiro à procura de algo para comer, comprar ou vender.
Mais de metade não tem pernas ou braços, simplesmente porque pouco antes do 25 de Abril, as potências da guerra fria resolveram que África seria o campo de batalha ideal para uma longa guerra de desgaste, num combate longe do conforto dos lares do Midwest ou das estepes frias da URSS.
Nem a URSS nem os EU receberam um tostão pelas armas vendidas a África, essas foram e continuam a ser pagas com o ouro preto, perante a passividade do Ocidente e dos fantoches pagos a peso de ouro que o Ocidente lá vai colocando.
Mas como dizem e bem os africanos, numa guerra de elefantes quem se lixa é o capim, e o capim ou mexilhão é sempre o mesmo, em Luanda, Maputo ou Vila Real de Santo António.
Do lado de cá, Cunhal foi Judas e Soares foi Pilatos, com a agravante de nem um, nem outro se terem arrependido.
Quanto a Salazar, que na defesa desse mundo que os portugueses gloriosamente descobriram e tão vergonhosamente abandonaram, o mínimo que os portugueses lhe podiam fazer, era repor o nome na ponte que ele mandou construir.
Mais tarde ou mais cedo irá acontecer.
A esse, coragem e visão não lhe faltaram, faltou-lhe apenas o tempo e a compreensão dos seus aliados.
Tempo que mais tarde tragicamente lhe veio dar razão.
Não há na política homens perfeitos, nunca houve nem nunca haverá, mas há homens que se entregam à Nação, e há outros que entregam a Nação.
Das boas intenções de cada um, só Deus sabe, mas neste caso os factos falam por si.
Inventaram-se uns sucedânios para a lusofonia, PALOPS ou CPLP's, siglas tristes e anónimas, pálidas amostras de um império que desbotou, e que não interessam a ninguém, nem a ninguém conseguem entusiasmar.
Portugal tem um património de simpatia e história partilhada com todos esses povos, que deve assumir sem vergonha nem medo, para seu e nosso bem.
A Europa mal nos conhece, nem me parece que tenha muito interesse em nos conhecer melhor, para além do vinho verde e das praias do Algarve pouco mais os preocupa, não querem cá fábricas nem auto-estradas, para que o País continue limpinho e possam continuar a passar cá férias.
Há 50 anos alguém disse "em força e já para Angola", hoje esse grito nunca faz tanto sentido, noutro sentido, claro!"


Otto Czernin
Editorial da "Magazine Grande Informação", nº8, de Julho de 2006

24 comentários:

Ze do Telhado disse...

Sublime!

Pedro Ferreira, Visconde de Cunhaú disse...

Bom texto! Realmente, Portugal está-se a tranformar na estância balnear da Europa mais endinheirada!

Santos R. Queiroz disse...

De facto. Congratulo o blog, já ninguém fala no assunto, nos nossos dias.

Mas a minha opinião sobre o assunto:
1-Quem nos quis roubar os Estados Ultramarinos não foram os indígenas, mas a URSS e os EUA, (como se lê no artigo) que por hoje ainda lá cirandam, inclusive a explorar petróleo de territórios que são propriedade de Portugueses.

2- Não morreram só essas pessoas. E quem lá fez vida, quem criou empresas, construiu casas, fez pelo bem de todos (e os que hoje lá vivem sabem e pedem que nós voltemos) e se viu de um momento para o outro despojado de tudo? Não ficaram por lá, que quem nasce Português, assim morre, e não são os Cubanos, os Russos ou os Americanos que lhe roubam a Pátria.

3- A hipocrisia de homens como Spínola, Mário Soares, Cunhal e outros está na origem de toda a catástrofe que aconteceu. Pesem-lhe as punições (vivos ou mortos) por terem enterrado um Império, por terem assassinado milhões, por terem estropiado milhões, por terem deserdado milhões, por terem feito sofrer os seus. Perguntem a esses meninos (o Soares e uns quantos ainda são vivos) quanto ganham de "reformas" com os diamantes, o petróleo, o ouro e o resto. Roubaram-nas aos pretos, sim senhor, e aos Portugueses que lá morreram a dar tiros a quem não conheciam e a morrerem por picadas de mosquitos, na pior das agonias.

4- O que homens como Sampaio não compreendem e isso nota-se quando condecoram os Bonos e os Xutos & Pontapés é que quem recebia medalhas há 3 décadas era quem tinha um pai, um filho, um irmão morto a defender a Pátria grande que Camões cantou... ou então quem tinha ficado desfeito a combater e já mais não podia fazer pelo bem de Portugal.

Só me custa já não ver o cutelo da Justiça abater-se sobre esses cães que mataram Portugal, o Império, Sá Carneiro, qualquer um que não lhes tenha dado as malditas e milioárias reformas que recebem até ao último suspiro.
Ódio! Ódio aos meninos da mãe que vestiam fato de macaco para imitar os trabalhadores para irritar a D. Mercedes. Ódio ao rectângulo estagnado que fizeram e teimam manter daquela que foi e para mim sempre será a mais ditosa das Pátrias, grande demais para se conter nesta pequeneza que lhe impõem.

lobo disse...

Quem manda? Salazar, Salazar, Salazar!
Quem pode? Salazar, Salazar, Salazar!
Ah, que gozo me dá assistir à patetice galopante de quem precisa de um dono! Não há mestres! Nenhuns! Nem Soares nem Salazares!

Anónimo disse...

Nem Patria, nem Fronteiras, QUEIMEM-SE AS BANDEIRAS!

- ANTIFA -

Sangue Luso disse...

De uma notícia publicada hoje, 1 de Agosto, na imprensa generalista:

" (...)na sequência, o presidente da República, Amíbal Cavaco Silva, manifestou-se "seriamente preocupado" com a influência da extrema-direita nas escolas, onde "terroristas procuram recrutar para as suas fileiras jovens ainda em fase de formação psicológica". "Não me tinha apercebido, quando das minhas primeiras declarações, da extensão e gravidade do problema", acrescentou o responsável.
O presidente da República manifestou-se disponível para estudar soluções, em colaboração estreita com o Governo de José Sócretes que, considerou, "tem vindo a desenvolver um excelente trabalho em prol de Portugal e dos portugueses numa perspectiva europeia". As opções poderão ir da "mera prisão preventiva para os jovens desencaminhados e da sua passagem por centros de reeducação, à prisão efectiva para os angariadores de tendência fascista, a qual poderia ir de 20 a 25 anos." "

E o que me dizem a isto????? Ainda há quem continue a insistir que vivemos num país livre?????????

Mestre de Aviz disse...

Se isso é verdade, tenho vergonha do nosso Presidente.

Viva o Rei!

besta mecanica disse...

Em concreto estamos a falar de que jornal? é que procurei e não vi isso em lado algum.

Vera disse...

Bom, eu acho ue relativamente a grandeza do país e das descobertas exageraram um pouco:

1º "mundo que os portugueses gloriosamente descobriram"... Não foi assim tão glorioso naquela época. Os reis eram uns analfabetos, não queriam gastar dinheiro a financias os descobrimentos. O Vascoda Gama teve que se aproveitar da doença mental do Infante D. Henrique para o levar para Sgres e conseguir dinheiro para os materiais. Iam buscar os bêbados às tabernas, porque só um tipo bêbado aceitaria partir numbarco naquelas condições. O rei só queria saber do ouro que veio depois. Tanto não queriam saber dos descobrimentos que negaram os apoios a Cristovão Colombo, que descobriu as américas ao serviço de Espanha.

2º Não abandonámos as colónias assim duma forma tão trágica. Os africanos é que exigiam a independência, exigiam os portugueses fora de africa..Que íamos fazer?Ficar lá para morrerem mais milhares para ajudar angola ou Moçambique?

3º Se Angola está como está a culpa não é só nosso. É do governo deles, que é uma aldrabice pegada. Não sei como é que o Eduardo dos Santos consegue dormir. Aquilo é a corrupção total. Não haveria o povo de ser pobre....

Têm o direito de criticar o cunhal, o soares, o spínola, etc etc...mas daía defender salazar...nem 8 nem 80! Têm saudades da PIDE? da ditadura, das torturas e presos politicos, das mulheres a lavar no rio pq era bonito, das mortes? Salazar foium nacionalista que reprimiu a própria nação. Seria muito mais honesto se levasse o país para a frentepor mérito próprio, e não por controlo do poder. Era crente mas não cumpria os valores mais importante, era político mas não respeitava o povo...O soares e o cunhal podiam nãoser bons, mas será que salazar merece tanto mérito? as poucas coisas boas que fez foram totalmente encobertas pelas más, justamente porque foram erros imperdoàveis..

Eu concordo com o nacionalismo de certos nacionalistas relativamente à imigração, agr salazar... Dá a ideia de que querem instaurar uma ditadura em que vocês é que querem governar. E assim, caiem no erro de muitos outros, corrompidos pelo poder, como todos os outros políticos. E depois, por melhor que façam ao país, nunca vai ser realmente bom, por ser uma ditadura.

Mestre de Aviz disse...

Besta Mecânica, o texto foi tirado da Magazine Grande Informação, é uma revista pequenina.

Vera, em primeiro lugar obrigado por comentar e mostrar a sua opinião, embora discorde no seu fulcro. Desta forma, o seu 1º ponto tem a sua verdade quanto ao facto de irem buscar pessoas às tabernas para embarcar nos descobrimentos. No entanto, os responsáveis eram nobres soldados que precisavam apenas de uma tripulaçao numerosa para combater as mortes que acontecessem. Quanto à questão dos Reis, tal não poderia ser mais falacioso. D. João II, o mentor dos descobrimentos estava longe de ser analfabeto, antes pelo contrário, bem como D. Manuel. Se me falar de D. João V posso concordar, mas aí a dinastia é outra e quem percebe de História sabe que a Dinastia de Bragança foi uma desgraça, culminando na queda da Monarquia.

O seu 2º ponto então passa as barreiras da falácia para se tornar totalmente falso. Quem queria a independência não eram os africanos mas sim uma pequena falange de milícias armadas pelos EUA e pela então URSS. O resultado está à vista. Se perguntar a um angolano ou outro qualquer se preferia ser português garanto-lhe que lhe respondia afirmamente.

O seu 3º ponto é totalmente verdadeiro, embora ache que Portugal podia ter uma responsabilidade maior em relação aos seus ex-territórios.

Quanto ao resto do seu comentário, obviamente que ninguém quer o prof. Salazar de volta. Ele é um exemplo a nível de finanças e de governo mas cometeu muitos erros e está a ser julgado por isso, embora mal na minha opinião, mas um dia a História far-lhe-á justiça.

Besta mecanica disse...

Caríssimo mestre de Avis, calculei mal a minha questão, ainda assim, obrigado pelo esclarecimento. Estava a perguntar ao sr. Sangue Luso onde "desencantou" tais declarações. É que do que li sobre as declarações do Presidente da Republica sobre a questao da extrema direita, ele praticamente desprezou o assunto. Disse apenas que acreditava que os jovens portugueses não iriam apoiar esses ideais. Mas se realmente disse o que o sr. Sangue Luso afirma, demonstrou aqui o meu repúdio por uma personalidade que se revelaria nessas circunstâncias parcial, corrompido e antidemocrata.
Quanto a revista que falou, sou assinante =P

Mestre de Aviz disse...

Pronto pronto, as minhas desculpas. Trata-se de uma óptima revista. Quanto ao outro artigo também não vi nada...

Anónimo disse...

acabei de reparàr que esse sr escreveu amibal e socretes.devia de estar a gosar com a patria ou não sei!!!!!!! pra mim deve de ser coisa de isquerdelho!!!!!!!!!

besta mecanica disse...

De resto camarada Mestre de Avis, achei bastante oportuna a transcrição do texto. A revista tem tido bons artigos. É bom ver que não estamos sozinhos.

Cumprimentos

Vera disse...

"Se perguntar a um angolano ou outro qualquer se preferia ser português garanto-lhe que lhe respondia afirmamente."

Responde afirmativamente se for português apra ter visto e nacionaldiade, para viver cá em vez de estar na miséria de africa! Achas mesmo que Angola queria ser, hoje, uma colonia portuguesa? Achas que algum país quer estar dominado por outro?

Vera disse...

Slazar foi um bom ministro das finanças, nos primeiros anos.....
OS erros, já para não lhe chamar crimes, que cometeu, superaram em tudo qq valor que as suas boas acções poderia ter... Como é que a história lhe fará justiça? Em que é que ele merece uma boa recordação na memóriaa de Portugal? Um ditador, nunca merece boa ´recordação....Só pelos simples factos de ter sido ditador...

Mestre de Aviz disse...

Não vale a pena argumentar mais consigo porque já vi que é chapa 5, portanto reafirmo, a História fará justiça ao nome de Salazar.

Vera disse...

Sim, contra factos não há argumentos.

Ze do Telhado disse...

Crimes, que crimes? Não basta debitar chavões já gastos, há que provar o que diz. Se me vem com a história do "toda a gente sabe" então evite responder, porque aqui pretendemos debater com pessoas que sabem do que falam. "Foi um bom ministro das finanças nos primeiros anos", e nos outros, não? Essa sua frase deixa-me perdido de riso, vê-se que deveria abrir mais livros de História.

Olhe para estes 30 e poucos anos de pseudo-democracia e diga-me se merecem recordação. Os inumeros crimes já cometidos são tantos que extravasam em larga escala os erros do Estado Novo.
Não há regimes perfeitos, mas há uns melhores que outros, e o Estado Novo era-o, sem dúvida alguma.

Cumprimentos, e não se esqueça, leia mais, fará concerteza muito melhor figura!

Vingador disse...

Muito bom!! Mas mesmo muito bom!

Anónimo disse...

A menina Vera devia lavar a boquinha antes de falar de um dos maiores vultos da historia portuguesa.

Quando não se sabe fica-se calado e a menina não sabe NADA.

Siga o conselho do ze do telhado.

AP

Vitório Rosário Cardoso disse...

Caríssimo,

Portugal nunca teve Colónias.
Teve sim Praças do Império, Territórios Ultramarinos e posteriormente Províncias Ultramarinas.
Não caiamos da ratoeira da sinistra, como sabemos, o termo colónias, foi utilizado exaustivamente pela sinistra para dar um sentido negativo e depreciativo para a presença de uma potência soberana além-mar.

Vitório Rosário Cardoso disse...

Saudações,
VRC

Vitório Rosário Cardoso disse...

Errata- "Não caiamos na..."