domingo, outubro 15


O paradoxo da discriminação religiosa

"Funcionária da British Airways suspensa por usar crucifixo.

Os tempos também não estam fáceis para os cristãos. Uma funcionária da companhia aérea britânica British Airways (BA) foi suspensa por usar um colar com crucifixo, noticiou o Daily Mail. Segundo este diário, Nadia Eweida, de 55 anos, foi mandada para casa depois de ter recusado retirar o crucifixo, que é proibido pelo código de vestuário da British Airways" - (...) agora surge o paradoxo - "apesar de se permitir, sublinha o jornal, que muçulmanos e sikhs trabalhem com os seus véus e turbantes. Eweida, empregada há sete anos pela companhia aérea, trabalhava num balcão de check-in no aeroporto londrino de Heathrow e decidiu processar a British Airways por discriminação religiosa".

In Público.


Ora aqui temos mais um caso de hipocrisia ocidental, que recusa a sua própria identidade, renega a sua cultura e chega mesmo a penalizar de forma despropositada um comportamento incompreensivelmente censurável.


7 comentários:

jb bettencourt disse...

Acho que isso espelha claramente uma realidade actual das mentalidades ocidentais. Promover o dos outros, recusar o que é seu. Um dos principais contra-sensos do Multiculturalismo tal como o conhecemos.

Anónimo disse...

Temos é de harmonizar as estruturas! Uma sociedade multicultural enriquece-nos de experiencias! Nao pode haver fronteiras entre o homem.

Camisa Azul disse...

Caro anónimo, já agora uma pergunta: E entre o capital?

Anónimo disse...

O capital não pode existir e se existir tem de estar ao serviço do homem. Mas o capital só serve para causar desigualdades, assentar classes e perpetuar as clivagens entre elas.

Mestre de Aviz disse...

tipica resposta

Monsters Game disse...

Vai aqui para seres mordido por um vampiro!

http://world6.monstersgame.com.pt/?ac=vid&vid=41146783

reconquista disse...

Se o Homem Europeu não ultrapassar esta fase da sua evolução (biológica?)em que domina superiormente a inteligência técnica mas escasseia o mais elementar senso comum, não passará à fase seguinte... Acha que ser por si e pelos seus é primário e, movido por uma prosápia idiota, vaidosa, prefere armar em santo, "dar o dedo ao vilão que lhe está a comer a mão".

Bem haja por mais este alerta que constitui a notícia que nos traz da senhora que foi despedida pelo cruxifixo!

Num post anterior deste seu estimadíssimo blog você refere, muito bem, a confirmada estupidez da maioria dos nossos compatriotas. Pior que a ignorância crassa mas honesta, da multidão aparvalhada é o meio saber dessa mais pequena multidão de cãezinhos de Pavlov que salivam ao toque da campaínha e que, nas conversas habituais - família, café ou trabalho - debitam, satisfeitos, os lugares comuns com que, incansávelmente, desde a escola, os "republicanos" saturam as suas débeis cabecinhas.