sábado, janeiro 20


Sessões de esclarecimento

Mário Soares vs António Ramalho Eanes

Pós – 25 de Abril – Parte III

Mário Soares

Após o seu regresso no dia 28 de Abril, Mário Soares “tomou as rédeas” do Partido Socialista, fazendo uma suposta luta ao comunismo de Álvaro Cunhal. Entretanto, fez parte de vários governos provisórios entre 1974 e 1976, muitos deles sob a égide do PC e de Vasco Gonçalves. No dia 25 de Abril de 1976, o Partido Socialista, comandado por Mário Soares, ganhou as eleições, tornando-se no primeiro governo constitucional, após a revolução. Seguiu-se a “descolonização exemplar”, responsável pelas guerras civis nos países africanos de língua portuguesa, causadoras de milhares de mortos e inválidos, na sua grande maioria crianças.

Mas será que foi este senhor o defensor de Portugal, impedindo uma ditadura do proletariado?


António Ramalho Eanes

Após o seu regresso de Angola (por alturas da revolução), Ramalho Eanes adere ao Movimento das Forças Armadas, sendo nomeado presidente da Rádio Televisão Portuguesa. Em 1975, fruto do seu trabalho nas províncias e da sua adesão ao MFA, é promovido a General. Descontente com o Verão Quente e com os sucessivos saques, Ramalho Eanes revolta-se, dando origem ao Golpe de 25 de Novembro. A partir deste dia, pode-se dizer que o comunismo caiu definitivamente em desuso. Foi eleito Presidente da República em 27 de Junho de 1976, com os seguintes resultados:





Ou terá sido este homem que nos salvou das garras tiranas dos vermelhos?


Mário Soares vs Ramalho Eanes


Respondendo às questões acima colocadas e de mais interrogações, consideramos que Mário Soares não passou de um vendido, que ora apregoava o seu peixe à esquerda, ora à direita, na única tentativa de conseguir um poleiro, um lugar onde o poder se manifestasse e o dinheiro proliferasse (vulgo diamantes, marfins, fundações, etc.). Em relação a António Ramalho Eanes, entendemos que, por mais importante que tenha sido a sua eleição para Presidente da República, bem como o golpe do 25 de Novembro, nunca terá desempenhado um papel fulcral na luta ao comunismo, já que o povo votou e o povo, votando, retirou o poder a quem não de direito, neste caso, o partido comunista português. Desta forma, tanto Mário Soares, como Ramalho Eanes foram meras personagens que, por graça Divina, estiveram naqueles lugares, sendo designados para exercer funções com um determinado objectivo, previamente desejado pela população portuguesa.
Após estas breves considerações, novas perguntas se levantam: Dormirá, o Dr. Mário Soares, de consciência tranquila depois de tanta miséria, tanta fome e tanta morte que gerou?

De certo, dormirá.


Mestre de Aviz
Santo Condestável

20 comentários:

Anónimo disse...

Depois disto tudo ainda ha 13% de idiotas em Portugal

Mestre de Aviz disse...

13%?

besta mecanica disse...

Não esquecer que Ramalho Eanes era candidato também apoiado pela extrema-esquerda maoísta, tao perigosa e assassina como a do PCP, embora com menos expressão.

Mestre de Aviz disse...

Ramalho Eanes foi apoiado por praticamente toda a gente, daí a nossa desconfiança.

besta mecanica disse...

Nem toda a gente. Não esqueça a abstenção que houve e também o "voto útil". Mas claro que é de desconfiar.

Mestre de Aviz disse...

Todos os governantes pós-25 de Abril tinham sempre um amor egoista a si proprios e só depois a Portugal, ao contrario do que acontecia no Estado Novo. Mais uma razão para desconfiarmos.

Anónimo disse...

ninguem comenta esta merda deste blog pseudo patriota. Qe nodoas...

Mestre de Aviz disse...

desculpe?

Anónimo disse...

nao sabes ler cabrao? ng le esta merda! Falhados do crl!

Mestre de Aviz disse...

Você pelos visto lê. Quem será aqui o falhado então?

Anónimo disse...

Já disse que são voces. Que cena ridicula. A tentarem fazer humor com a historia que vos deu a liberdade. Levantam suspeitas, difamam, e td isso pq? onde vem tanta raiva?

Deviam ser julgados !

Anónimo disse...

e mais, vou juntar pessoal que saiba como fazer, porque nao podem ficar impunes com esse tipo de afirmaçoes. Vao responder pelo que dizem. Ou sou sao a favor da limitaçao da liberdade de expressao qd isso nao vos afecta? pois é! a liberdade de expressao nao da para tudo. tem os seus limites !

Mestre de Aviz disse...

Reconheço que possamos ter sido agressivos neste texto, mas tudo não passa da nossa opinião e que eu saiba, manifestar a opinião não é difamar ninguém! Como nós dizemos, "consideramos que Mário Soares não passou..." etc. Ou seja, quero com isto dizer, que nada do que ali dizemos é um facto. Pode ser ou não. É nossa opinião que sim. Nada mais.

Cumprimentos e obrigado por comentar

Santo Condestável disse...

O senhor tem toda a razao mas tal como nós devemos responder pelas nossas afirmações, agradeço que neste caso, demova também um processo contra o Dr. Soares porque ele "não pode ficar impune".


Melhores Cumprimentos

Anónimo disse...

A LIBERDADE DE EXPRESSÃO Ñ DÁ PARATUDO TEM OS SEUS LIMITES...
A^LGUÊM AQUI DISSE.

Quemè que impõe os limites?
Quais limites?
Os meus limites ou os teus?
Eu até acho piada as estes APRENDIZES DE SALAZAR.
O que è triste è que são muitos cá em Portugal.
Já agora e até ver até concordo com o mestre de avis

Mestre de Aviz disse...

Muito obrigado pelo apoio.

Cumprimentos

Augusto Emilio disse...

Mais uma vez temos aqui um marxista enraivecido, que apresenta aqui a postura extremista que deu origem a casos como o da FP-25 e do seu camarada-chefe Otelo e esses sim mereciam ter pago pelos crimes que cometeram e foram amnistiados com toda a pompa e circunstância.
Senhor anónimo podia ter um nome fictício só para o reconhecer-mos nas póximas vezes mas a cobardia sempre viveu na penumbra. Estive para responder na forma de artigo mas desisti, achei que não merecia essa cortesia.
Senhores que prejudicaram o país, como o senhor Soares é que deviam sentar-se no banco dos réus, pois gerações de traidores da pátria é que são um malefício para o nosso povo, não pessoas que alertam para os perigos que estes representam. Posso aqui lembrar a ursupação de poder que levou á manipulação das eleições de 1986 para a Presidência da Républica, que através do controlo do tempo de antena da RTP eliminou os outros candidatos entre os quais se encontrava provavelmente o último grande Português e a última réstia de pensamento e inteligência nacional o Filósofo Orlando Vitorino que Deus o tenha. Toda mordomia do abastado Soares no seu "exílio político" que deu numa revolução de meia dúzia de sedentos de poder que de popular não teve nada, e da qual nem fez parte.
Depois de uma eleição e da sua pseudo-paternidade revolutiva apresento o caso do fax de Macau, concerteza depois de uma vida de mal-feitorias não será díficil apontar mais motivos para a aplicação da tardia Justiça, talvez seja a última e a Dívina a tratar do caso, experemos que sim.
Lemvro-lhe que é fácil falar, é díficil pensar, mas que se continuar a falar sem pensar mete argoladas iguais às que temos visto senho anónimo, estatela-se ao comprido e faz figuras rídiculas, pelo que lhe deixo o texto "Anatomia de um silêncio" em post por ser demasiado extenso para comentario, para ler se quiser, e aprender alguma coisa se for da sua indole. Informe-se antes de pensar e pense antes de falar é um conselho, poruqe ser um cliché socialista amorfo de pensamento é vulgar, não se ache especial.
Liberdade não se dá ou tira entende, Livre é quem pensa, o que se dá é a possibilidade de exprimir essa Liberdade como nos aprouver, e se quer fazer queixa, terei todo o orgulho em enfrentar o sistema judicial por aquilo em que acredito, e não fugirei para as esplandas de Paris ou de outro sitio qualquer, ficarei e receberei o correctivo ou a indulgência, pois para o bem e para o mal é o meu país.

Bem-haja!

Mestre de Aviz disse...

Acho que ficou tudo dito.

Cumprimentos

Padeira de Aljubarrota disse...

"Ou sou sao a favor da limitaçao da liberdade de expressao qd isso nao vos afecta?" - Exactamente por existir liberdade de expressão é que podemos exprimir a nossa opinião livremente. Parece ser a si que a nossa liberdade de expressão afecta.

Não vejo, neste texto, onde haja qualquer afirnação que se assemelhe a difamação, injúria, etc. A expressão da opinião, por si só, não constitui qualquer tipo de crime (ou sequer ofensa pessoal). Apenas a utilização de argumentos falaciosos, que por sua vez possam ser tidos em consideração, no atentado contra o bom nome de qualquer cidadão ou instituição, pode ser considerado difamação.

Ora neste texto nada disso acontece. Acontece, isso sim, que os meus dois caríssimos companheiros, expressam a sua opinião (a qual subscrevo, note-se) acerca de duas personagens que marcaram, de forma indelével, a nossa história.

Quanto a si, posso dizer que é estúpido, porque sim, sem perigo de incorrer em qualquer tipo de desrespeito pela lei (porque o "caro" visitante concerteza que não mo merece). Esse tipo de ameaças e intimidações poderão, no futuro, causar-lhe alguns problemas. Fica o aviso, sem malícia, certamente, pois neste blogue há liberdade de expressão e como vozes de burro não chegam ao céu, a sua, obviamente, não nos afecta.

Abstenha-se, por favor, de nos visitar mais vezes, uma vez que os nossos conteúdos não lhe são aprazíveis e que não sabe fazer uso da sua liberdade de expressão dentro das normas da boa-educação.

Thomaz Vaz disse...

Os queridos simpatizantes do “Marocas”, querem processar alguém??? Processe-me a mim também, então. Porque também eu sei, de todas as trafulhices que certos “supostos heróis da nossa gloriosa democracia” fizeram após o começo do fim, ou seja, do 25 de Abril. Almeida Santos, que enriqueceram misteriosamente quando toda a gente empobreceu em Moçambique, O próprio Mário Soares, com encontros “desinteressados” em Paris com agentes soviéticos e outros personagens, e mais tarde com a, como foi genialmente referenciada, “descolonização exemplar”, feita de uma maneira também muito “cuidadosa” e “altruísta”; e como estes dois muitos mais nesta vergonhosa recente história, deste grande país. Um dia, far-se-á justiça!!!
Porque ninguém tem medo de si, do “Marocas” ou do seu filho, muito amigo dos homossexuais do agora destruído Chiado, dos seus amigos da infame maçonaria, dos ressabiados capitães de Abril, dos moribundos militantes do PCP, dos ressacados militantes bloquistas, da vergonha da justiça portuguesa as FP-25 ou da bombista medalhada pelo palhaço do Sampaio, ou de assassinos como o camarada Otelo… porque um dia, ou nós faremos justiça ou fá-la-á quem é maior que todos nós.
Injustiça em Portugal é a impunidade, de todos estes senhores e senhoras que mereciam estar a definhar atrás das grades, e não a serem aplaudidos como heróis da democracia por um povo adormecido e manipulado, e por uma comunicação social facciosa e vendida.
Tenho dito, a verdade.