segunda-feira, abril 16


OTA

Ao contrário da maioria dos nacionalistas e da maioria dos blogs, acho (e falo exclusivamente por mim e não por toda a equipa do Império Lusitano) que a OTA é a opção menos má e quanto mais rápido avançar melhor.
O aeroporto de Lisboa está completamente esgotado e precisa forçosamente de ser substituído por outro, muito maior e com melhores possibilidades de expansão.
Uma vez que já desde 1969 se fala de uma alternativa para o aeroporto de Lisboa (o esquecido NAL - Novo Aeroporto de Lisboa) e nada tem sido feito, a OTA, entre todos os outros estudos, mostra-se o menos problemático a nível ambiental, o que implicará mais custos. Mas como os custos vão ser suportados por particulares (o Estado português terá uma fatia de 600 milhões de euros, sendo que 450 milhões serão financiados pela União Europeia), contra um contrato de concessão que se crê entre 30 a 50 anos, dependendo das propostas, o Estado terá custos diminutos com esta obra e beneficiará dos impostos cobrados às taxas de aeroporto.
Desta forma, é urgente Portugal avançar com esta proposta, pois o actual aeroporto já não tem espaço e já se chega ao ponto de recusar companhias aéreas, o que é completamente contra producente para o País.

16 comentários:

Padeira de Aljubarrota disse...

Apenas ressalvar que o aeroporto da Ota não tem possibilidades de expansão absolutamente nenhumas.

Mestre de Aviz disse...

Tem. Vai começar com capacidade para 17 milhões e pode ir até aos 35, o que dá cerca de 160 mil pessoas por dia. Muito dificilmente Lisboa terá tantos passageiros.

Pantera disse...

nao tem não companheiro, quando estiver concluido, não poderá ser expandido. Ninguém poe em causa que precisamos de um novo aeroporto, mas não precisamos já e não precisamos da OTA, tens por exemplo o aeroporto do montijo que pode ser convertido para usar tráfego civil.

um abraço

Mestre de Aviz disse...

Quem me disse isto foi um dos directores da ANA, que é amigo de infância do meu pai. Não vejo por que ele me iria enganar.

Pantera disse...

pois, mas olha que todos os artigos que tenho lido dizem o contrário

Um abraço ;)

Mestre de Aviz disse...

Pois, eu sei. Não percebo por que é que não falam do projecto como ele está concebido. Se falassem não havia tanta confusão e tanta discórdia.

de Direita mas informado disse...

mestre d'avis (o z não está correcto mas vai-se usando),

Mais uma vez mal informado. O Aeroporto da OTA não pode ter a sua capacidade aumentada, nem tão pouco ser expandido. Passo a citar "...que justificam os constrangimentos físicos a uma eventual expansão do novo aeroporto acima de 45 milhões de passageiros/ano com o facto de não ser possível construir e operacionalizar mais do que duas pistas paralelas na OTA, por estas se inserirem numa zona de vale, limitada a Norte, por formações rochosas já inseridas nas faldas do sistema montanhoso central Montejunto-Estrela, que torna a aproximação ou as descolagens para Norte perigosas (1) e ainda pelo facto da largura do vale da OTA não ser susceptível de comportar mais do que duas pistas paralelas com um distanciamento entre si de cerca de 1700 metros (distância mínima admitida entre pistas paralelas pela autoridades de segurança aeronáuticas internacionais)."

Mestre de Aviz disse...

Em primeiro lugar, você parece que não sabe ler.
Eu disse muito explicitamente que o Aeroporto irá começar com uma capacidade de 17 milhões de passageiros por ano, sendo alargado numa primeira fase para os 25 milhões e tendo ainda a capacidade de chegar aos 35 milhões. Alguma vez viu escrito por mim 45 milhões?
Sabe qual é a capacidade máxima do actual Aeroporto da Portela? Eu digo-lhe: 10 milhões e está a ser alargado para os 15 milhões, numa obra estimada em 300 milhões de euros. Sabe o que isso significa? Cerca de 27 mil pessoas por dia. O novo Aeroporto da OTA poderá ter capacidade para cerca de 100 mil pessoas por dia. Parece uma diferença bastante grande. É só 4 vezes mais.
Já que gosta de estar informado, então informe-se bem! Fartos de bocas baratas estamos nós!

Cumprimentos

de Direita mas informado disse...

Mestre,

Bastou-me ler a seguinte frase... "está a ser alargado para os 15 milhões, numa obra estimada em 300 milhões de euros. Sabe o que isso significa? Cerca de 27 mil pessoas por dia."... para perceber que não sabe fazer contas ou então alguma baralhação de pensamento... ora então vejamos... 15.000.000 pessoas/ 365 dias = 41.096 pessoas por dia!
Hoje em dia, e de acordo com o que dizes, é que a capacidade é de 27.000 pessoas por dia... representado estas obras um aumento de 50% da capacidade!

Em relação ao restante... prevê-se que a capacidade da OTA esteja esgotada em 13 anos... onde se prevê que as necessidades de Portugal ultrapassem os 60 milhões de anos...

Achas que vale a pena construir um aeroporto que apenas satisfaz no médio curto prazo...?

Já agora aconselho-te a fazer a conta de custo por utilizador das várias alternativas...

depois se tiverem mal eu corrijo!

cumprimentos,

Mestre de Aviz disse...

Eu falei dos 27 mil, no aeroporto actual, não com o alargamento como é óbvio. E de 27 para 41 não são 50%. Nem perto nem certo.
O que eu não acho bem é estar a alargar-se o actual aeroporto, indo construir-se outro brevemente. Isso sim é desperdício de dinheiro!
Quanto à OTA satisfazer o médio prazo, não sei se isso será verdade, uma vez que não sabemos como vai ser a aviação comercial em 2050. Pessoalmente, ponho muitas dúvidas que Portugal precise de um aeroporto ainda maior. Mas como é óbvio é um importante factor a ter em conta.

de Direita mas informado disse...

Mestre,

O aumento de 27 para 41 são (com aredondamentos à unidade) 52%! Logo 50% é certo e bem perto!

A aviação comercial em 2050 ninguem saberá muito ao certo como será na realidade, no entanto este "bottleneck" irá verificar-se muito antes disso...

cumprimentos,

Mestre de Aviz disse...

Ponho muitas dúvidas.

Cumprimentos

Anónimo disse...

bem, já vi e revi muita informação, de professores do IST, e de outras faculdades, bem como relatórios já antigos, acerca da ota...

primeiro, é uma zona de pântano. o aeroporto, a ser construido nessa zona, necessitará de estacas para suportarem o peso de aviões a aterrarem e descolarem. essas estacas, para além de caras, são muito instaveis, já para não falar em termos de preços, que irão ser muito superiores ao que foi estimado até agora pelo governo...

ora, vamos pensar então, o que sucederia durante um tremor de terra, neste aeroporto? ora, estacas instaveis levariam a uma quebra/falha de alguma ou de muitas, o que se iria traduzir em muitos milhões de euros de prejuizos, em construção, aviões, e outros materiais, já para não falar de menos trafego aéreo, que se revela cada vez mais critico para o nosso país...

eu já nem falo em limitações de capacidade, porque essas já foram aqui discutidas, e não é preciso dizer mais nada. para mim, esta catastrofe iminente, no caso da construção, é mais do que suficiente...

Anónimo disse...

E o deslocamento de terras para o local, para nivelar o terreno.. tarefa faraónica, a que se propoem o executivo...

Mestre de Aviz disse...

É possível fazer isso em engenharia, sem qualquer problema. Repare, por exemplo, no aeroporto da Madeira, em que cerca de 1 km da pista é no mar.

Se ler bem os estudos, irá ver que a nível ambiental é a proposta menos prejudicial para o País, saindo, claro, mais caro.

Anónimo disse...

Duvido, mas esperemos que seja, já que tudo indica que vai ser construido...