domingo, maio 27


Vergonha

Esta é a fotografia de um futuro juíz. Acho que sabem de quem falamos. Ora leiam:



" Este processo das crianças violadas vai mesmo ficar em "águas de bacalhau". É incrível a passividade do povo português face a este escândalo da pedofilia. Tem que se fazer justiça!
«Hugo Marçal está em vias de ser admitido a frequentar o curso de auditor de justiça do Centro de Estudos Judiciários. O nome do arguido no processo de pedofilia da Casa Pia vem publicado no Diário da República de ontem, entre centenas de candidatos a frequentar a escola que forma os juízes portugueses. Mas ao contrário dos outros, Hugo Marçal não vai prestar provas. Pelo facto de ser doutor em Direito - grau académico que terá obtido em Espanha - está por lei «isento da fase escrita e oral» e tem ainda «preferência sobre os restantes candidatos».
Resultado: o advogado de Elvas está na prática à beira de ser seleccionado para o curso que formará a próxima geração de magistrados. O nome de Hugo Manuel Santos Marçal surge na página 4961 do Diário da República, 2.ª série, com o número 802, na lista de candidatos a ingressar no CEJ. Se concluir o curso com aproveitamento e iniciar uma carreira nos tribunais - primeiro como auditor de justiça, depois como juiz de direito.
Marçal terá também o privilégio de não ser julgado num tribunal de primeira instância. POIS... É O PAÍS QUE TEMOS... !!! e que deixamos ter. Basta".
Tirem as vossas conclusões.

4 comentários:

Anónimo disse...

que nojo

Augusto Emilio disse...

É a vergonha desta forma de Estado que promove uma cultura de interesses em que a Justiça não é servida. A defesa da imoralidade e a o aceitar todas as aberrações, foi isto que o socialismo e o comunismo ofereceram ao nosso país nas ultimas três décadas, e o pior é que não há a possibilidade de homens sérios se sentarem na assembleia, nem partidos sem ser de esquerda candidatos às bancadas.

Bem-haja!

besta mecanica disse...

Estes é o nosso Portugal.

Até quando?

Thomaz Vaz disse...

Apenas por ser contra a pena de morte não a decretava a estes senhores, mas que mereciam passar o resto da vida a apodrecer atrás das grades mereciam. Não há crime pior, do que a ofensa à autodeterminação sexual de alguém mais fraco ou desprotegido, como crianças!!!