sexta-feira, julho 13


Apelo

Por favor, votem este Domingo nas eleições intercalares de Lisboa! Não deixem que António Costa e os cãezinhos do Governo ganhem a principal câmara do País. Se Lisboa anda desgvernada e sem liderança, não vai ser o ditador Sócrates e o seu (des)governo que a vão endireitar. Votem!

3 comentários:

boy disse...

entao para isso vais votar num dos outros parasitas/corruptos/tachentos/hipocritas/etc/etc/etc ??

Ou vais votar num dos partidos que luta (ou pelo menos tenta) contra este sistema de amigos,tachos,cunhas e parasitimos?

Falam, falam, falam, mas quando chega a hora, voltam a votar nos mesmo que estão a lucrar à vossa custa. Que belas ovelhas do rebanho que voces (portugueses) me saìram...

E depois vêm criticar o estado do país, no entanto nao têm legitimidade para o fazer, pois foram voces que os puseram lá (os vários "democratas" da esquerda à falsa direita)

A solucao não está na esquerda ou na direita, está no que está certo para o país. A solucao é fazer o melhor para portugal, no interesse de portugal, no benefício de portugal e nao no interesse de certos sectores, pessoas, grupos

Anónimo disse...

qero é foder! E esse senhor so escreve merda..boy ou q merda é essa. E se fosses pa casa do caralho? ahashahahahah

qero foder

nação do fado não porque é mais coisa do sul... disse...

A triste verdade é que temos um sistema político-partidário pesadíssimo e que vive à custa de cunhas, favores e corrupção, da esquerda à direita, da direita à esquerda. Concordo que a solução não passa simplesmente por rótulos, é necessário alguém que faça alguma coisa de jeito e consiga fazê-lo com suficiente inteligência e entrega que consiga a árdua tarefa de captar os Portugueses para essa causa de todos. De preferência nenhum "salvador da pátria", que sempre fizeram (e fazem) mais mal do que bem. Mas quem? No caso presente, ainda bem que não voto em Lisboa... Mas boa sorte para quem o faz e que não fiquem em casa, votem em consciência msemo que se possam enganar... E concordo, não votem no cão de fila de Sócrates.