segunda-feira, agosto 13


Reflexões





Passamos a vida toda à procura do que pensamos que queremos, do que não interessa mas nos torna obcecados. Aproveitamos, fugimos, sem coragem para enfrentar os problemas, e adiamos o inadiável.

Somos influenciados pelo “facilitismo” que reina nesta sociedade cada vez mais medíocre em valores e objectivos.


É a força como lidamos com os problemas e seguimos em frente, com consciência e sem trair os nossos ideais, que nos fará grandes, livres, capazes e memoráveis.
Só assim se vive bem com a alma.
Sobreviver é pequenino e cobarde. É para os fracos e pobres de espírito. Sobreviver é como estar em coma, eternamente dependentes, ligados a qualquer coisa que nos sufoca e prolonga a ilusão.
A grande diferença é que enquanto realmente vivos e intelectualmente capazes, podemos escolher o que fazemos e discernir o caminho que seguimos. Se vamos ser Homens, ou ovelhas.


Depois de errarmos estupidamente e seguirmos para longe, encontramos o que falsamente procurámos, aquilo que, sem reflectir com profundidade, achamos ser a solução. Aí vemos que perdemos o que antes era nosso, e que era tudo. Agora fica o nada. Foi-se o amor e ficou a saudade. Mas já é tarde porque não demos valor ao que tínhamos e fugimos da vida.
Invade-nos o arrependimento pelo erro eterno de ceder à tentação do vazio, dos Males que destroem tudo. O egoísmo, a apatia, a falta de coragem.

No final, assim, ficamos só nós.
E quase ninguém parece perceber que o que transforma o Homem e o torna bom e feliz é o Amor.
O Mundo sem Amor não presta, não vale nada.

5 comentários:

besta mecanica disse...

Numa só palavra: Extraordinário!

Força rapazes, que a tristeza ou a incompreensão, se transforme em força! E que força que vai dentro de vós!

Cumprimentos

Augusto Emilio disse...

Caro Zé do Telhado
Um texto duro, do qual eu entendo a razão e concordo com o que diz. O erro, apesar de parecer desnecessário para uns, é inevitável para outros, levando a quem tem essa sorte muitas vezes à Verdade. Gostei muito!!! Não falo apenas do texto. E claro, viva o Amor!

Bem-haja!

Ze do Telhado disse...

Caríssimo Augusto Emílio, muito obrigado.
Pois, percebo que entenda mais do que ninguem o porque do "grito". Gostava que estivesse certo, e que de facto o erro levasse à Verdade.
Também gostei bastante e mais uma vez, obrigado por tudo.
Viva o Amor, claro está lol

Os meus sinceros cumprimentos

jb bettencourt disse...

É uma grande verdade caro Zé. O mesmo do post mordaz do seu companheiro Augusto.
Este blog mesmo de ferias continua a brindar-nos com os seus optimos textos.
Obrigado.

Boa noite

Luisa disse...

E principalmente nunca abdicar dos nossos princípios porque sem eles tudo se desmorona.