quarta-feira, novembro 7


O Lili-Canecismo pênsil




O fenómeno até teve honras de abertura de telejornal: os "antifascistas portugueses estão em marcha contra o Museu Salazar".


Isto, porém, só atesta da deterioração galopante -e preocupante - dos nossos antifaxistas de plantão. Uns antifascistas a sério, viçosos e competentes -como aqueles que a malta, aqui há trinta anos atrás, julgava chacinados e esquartejados pela tenebrosa Pide, mas afinal, para nosso espanto, brotaram vivinhos e vorazes de Silva mal o Abril floriu para todos eles - não perderiam tempo nestas melguices folclóricas. Nem um minuto. Faziam ao Museu como fizeram à Ponte: esperavam que os fáxistas gastassem trabalho, energias e tempo a construi-lo e depois, numa noite apenas, todos lampeiros, iam lá e mudavam-lhe o nome. Para Museu 25 de Abril, evidentemente.
O resto - o conteúdo, a função, a finalidade - como tudo, nesta paróquia, é irrelevante. Porque, bem no fundo, o que atormenta estes vígarozitos estridentes e regurgitantos nem sequer é o fascismo, coisa que até ignoram o que seja e nunca viram mais gordo, mas apenas a fachada. A cosmética. A mascarilha com que hão-de besuntar a fronha. E a farpela com que farão (e falarão) de conta, na passerelle mundana do rapa-tacho.
Ou estes antifas da tanga não continuassem agarrados à saia duma autêntica Lili Caneças ideológica. Sim, catrafilados que nem lapas: à saia do estafermo ultra-recauchutado e à teta da situação. Parasitas dos vivos e bolores dos mortos.

Postado em Dragoscopio

8 comentários:

Anónimo disse...

Existiu alguma vez um regime fascista em Portugal? Pois, não existiu...

Cristóvão Mendes da Silva disse...

É com a máxima revolta que, mais de trinta anos após a gloriosa Revolução dos Cravos e por indicação de um amigo (é preciso ver para crer)deparo com um blogue fascista e anti-democrático neste nosso Portugal! Artigos como o presente tresandam a passadismo de indivíduos ressabiados pelo facto de actualmente todos, ricos e pobres, democratas e até fascistas (!) terem os mesmos direitos, graças a partidos democráticos que, como o Partido Socialista do senhor engenheiro José Sócrates, por todos velam e a ninguém descuram. O Museu Salazar, por V. Exas defendido, seria um exemplo máximo de como pequenos grupos violentos e saudosistas dos tempos obscuros em que alguns pisoteavam todo um povo poderiam pretender sobressair à custa da democracia e dos direitos adquiridos que certamente pretendem eliminar. É por isso que nunca haverá um Museu Salazar! Esse senhor que tanto mal fez a todos os portugueses e cuja maleficência ainda hoje se faz sentir, nunca será dessa forma relembrado! 25 de Abril sempre! Fascismo nunca mais!

Mestre de Aviz disse...

Idiota

Anónimo disse...

fascismo, caro cristóvão, só existiu em Itália

Vítor Ramalho disse...

http://nacionalismoemrede.blogspot.com/

Anónimo disse...

Qual é o problema de se construir um museu ao Salazar? O homem nem soube ser 15% fascista! Foi um idiota! Até num regime fascista fomos incompetentes. Morreu muito pouca gente. Assim, como é que poderemos ser competentes em democracia? O idiota do Salazar nem roubar 1 escudo soube. Estes últimos democratas são muito mais competentes. Pelo menos deixem montar um museu ao único idiota que governou este pais depois de 1500 e não roubou em seu proveito uma unica pataca. Até nisso o Salazar foi bem "portuga". Nessa matéria não o podem acusar de não ter governado do povo, pelo povo e para o povo. O problema da nossa democracia é que só gosta do povo em periodo de eleições. E por falar nisso já faz tempo que não há eleições!!!!! Viva a D. Dinis!!!!!

filomeno2006 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

E se o sr fosse comer fezes?, espanhol dum raio!